Nossa democracia resistirá. Ou não.

A contagem regressiva para as eleições mais acirradas e tensas da história do Brasil começa em alguns dias e, com ela, também se inicia a despedida do agoniante ano de 2022, cujas lembranças poucos vão querer guardar. No próximo dia 16 de agosto a campanha eleitoral se inicia oficialmente, devendo ser ela a mais provocativa, violenta e agressiva de toda história, bastando que atentemos à escalada do discurso de ódio que inflamou a todos nos últimos meses.

Da violência

Todas as semanas trago para esse espaço uma reflexão, uma opinião, assim entendida como um pensamento sobre determinado fato ou circunstância a respeito do qual tenho conhecimento técnico mínimo e suficiente para julgar, procurando evitar a disseminação de um senso vulgar sobre qualquer coisa.

Orgulho do orgulho alheio

Imagem: Google

Em 1943, o psicólogo norte-americano Abraham Maslow, ao apresentar a Teorias das Necessidades Humanas, propôs haver uma hierarquia dessas necessidades, assim definidas: fisiológicas, segurança, afeto, estima e as de autorrealização. A teoria é representada por uma pirâmide onde, na base, se encontram as necessidades mais básicas, pois estas estão diretamente relacionadas com a sobrevivência.

Ideias são à prova de balas

Na semana passada, o presidente Bolsonaro advertiu que caso o ex-presidente Lula seja eleito, clubes de tiro serão fechados e, no lugar deles, serão construídas bibliotecas. Com todo respeito aos frequentadores e apreciadores dos referidos clubes, parece não ser má ideia substituir armas, alvos e tiros por livros.

Defesa da vida

Imagem Google -Charge Laerte

Em agosto de 2020, debaixo da charge do genial @laertegenial , postei um desabafo sobre o caso de uma CRIANÇA de 10 anos que, estuprada por um parente próximo (assim como acontece na absoluta maioria desses casos horrendos), teve de ir ao Judiciário para obter autorização legal para a interrupção da gravidez.

X
Fale Conosco