Qual a profundidade de sua consistência?

 
O Ano Novo se aproxima e, com ele, a necessidade de nos atribuirmos metas, objetivos e desafios. Qual será sua meta? Que tal se desafiar a ser mais consistente? 

Consistente é uma das palavras que caiu em uso frequente, sem ter a consistência certa para ser usada. É moda e pronto. Tudo esta valendo da boca para fora. 

Mas, ser consistente, tem a ver com comportamento, com relevância, com conhecimento. Consistência sem constância não existe! 

Sim, temos de nos apegar ao conteúdo semântico da palavra no dia a dia e diariamente. É fundamental sermos coerentes com a nossa entrega, como seres humanos, como pais, filhos, chefes, empregados, eleitores... E, especialmente, como cidadãos!

A densidade do seu conhecimento é o termômetro do sucesso. Charles Duhigg identificou em seu livro, O Poder do Hábito, "que a natureza humana tem um potencial para a transformação".

O novo ano, afinal, é a "desculpa" ideal para nos melhorarmos como seres humanos. 
Nossa entrega precisa ser consistente, coerente e constante. Sempre!
 
Bom resto de semana!

Eduardo Pires