Semana com 4 dias de Trabalho

A redução da jornada diária já está sendo aplicada em diversos países, inclusive no Brasil, e os resultados apontam sua eficácia. Há algum tempo vem sendo discutida a diminuição do trabalho em determinadas empresas objetivando, de outro lado, ao aumento da produtividade e, consequentemente, o lucro almejado.

A nova tática não engloba demissões ou não contratações, mas sim redução da jornada semanal sem qualquer interferência no salário.

Com semanas de 4 dias de trabalho, as empresas conseguem proporcionar aos seus colaboradores melhor qualidade de vida, sobretudo no próprio ambiente de trabalho.

Pesquisas sobre essa nova condição demonstraram que o nível de satisfação teve crescimento considerável, refletindo na qualidade da execução das atividades e, por óbvio, nos resultados.

Embora países europeus tenham sido os pioneiros, sabemos que no Brasil o mundo corporativo já está experimentando esse modelo de flexibilidade de jornada. Além da folga a mais, a qual fica a critério das partes definir o melhor dia, também foi constatada a redução de faltas e atraso injustificados.

Mas não é só. Acreditamos ainda na geração de novas vagas de emprego, uma vez que será necessária uma maior rotatividade de colaboradores naquelas empresas em que o novo dia off não é fixado coletivamente, como por exemplo, as que prestam serviços essenciais e não podem interromper suas atividades.

Outrossim, o número de afastamento por acidentes e doenças profissionais também tende a cair, afastando cada vez mais despesas com previdência social, indenizações, pensões, entre outras, e, por que não, de litígios judiciais.

Por: Fernanda Guimarães