Coronavírus X Trabalho Temporário = Oportunidades

Mas nem tudo está perdido. Ao contrário: as chances são de aumentar os lucros aproveitando as oportunidades que aparecem, contribuindo ainda com a propagação do desemprego.
Como? Implantando o sistema DELIVERY, por meio de MÃO-DE-OBRA TEMPORÁRIA.
Esse tipo de contrato de trabalho é amparado pela Lei, e tem como finalidade justamente o atendimento de demandas em casos excepcionais, tal qual estamos vivenciando nos últimos dias.
A contratação deve ser intermediada por uma empresa de trabalho temporário que colocará à disposição do tomador de serviços profissionais específicos de acordo com a exigência.
Há necessidade do contrato ser por escrito, qualificando partes e detalhando a atividade a ser exercida, com vigência de até 180 (cento e oitenta) dias, prorrogável por mais 90 (noventa) desde que comprovada a necessidade.Assim, não se trata de período experimental, mas sim um reforço ao quadro de funcionários, como por exemplo, à área de limpeza, ou até mesmo uma novidade para melhor atendimento aos clientes, como o sistema de entregas de produtos e alimentos citado acima.

Alertamos que é imprescindível à segurança de todos, contratantes e contratados, a análise das empresas intermediadoras, verificando-se principalmente se há registro na Junta Comercial com tal finalidade.
Quanto aos funcionários temporários, devem ser observados alguns benefícios quando da execução de tarefas das dependências do contratante, similares aos permanentes, tais como fornecimento de alimentação (caso exista refeitório no local); treinamento, quando a função assim exigir; entre outros detalhes.
Não obstante algumas condições para a contratação, ao final, o temporário pode ser benéfico às empresas, que reduzem gastos se comparados ao regime tradicional, e ainda podem melhorar o desempenho nos momentos de uma demanda inesperada.
Aos contratados a vantagem pode ser o interesse em futura contratação efetiva ao término do período transitório - afastando-se, por óbvio, a necessidade de experiência - já que não há qualquer proibição nesse sentido, desde que formalizado novo instrumento, sem intermediações.

fernanda

 

 

Por: Advogada Fernanda Guimarães

 

Comments powered by CComment

© 2018 Eduardo Pires & Advogados Associados. Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Dableo Comunicação.