É urgente? Você sabe responder?

"É para ontem?". "É urgente?". "Isso é prioridade?". Perguntas como essas são feitas todos os dias por nós mesmos e, mais frequentemente ainda, por pessoas que ocupam cargos gerenciais e para as quais, caso essas questões não sejam bem resolvidas, estarão comprometidos gravemente os resultados das decisões tomadas com base nelas.

Para o especialista em administração do tempo e produtividade, e fundador da Triad PS, Christian Barbosa, atualmente, as empresas sofrem do que ele chama de “mal da prioridade”. Ele explica que sem a clareza de prioridade, “muito se trabalha, muito estresse é gerado e, no final, pouca execução e resultado acontece de verdade”.

Barbosa cita uma situação corriqueira dentro das empresas: um profissional está trabalhando quando surge uma demanda urgente para ser atendida. Dois clientes com urgência pedem uma solução ao mesmo tempo. O primeiro é tranquilo, calmo e expressa sua urgência de forma mais educada, enquanto o segundo é mal humorado, indelicado, grosso e pior, não para de gritar. Quem você acha que será atendido primeiro: o calmo ou nervosinho?

Segundo o especialista, com certeza o cliente irritado será atendido primeiro. “Isso é porque em uma empresa sem prioridade, a ordem definida é de execução através da gritaria e não de prioridades”.

Num mundo cada vez mais frenético, no qual a ansiedade toma dez em cada dez pessoas, costumo dizer que aquilo que é urgente não pode ser importante; assim como, aquilo que é importante não pode ser resolvido com urgência.

Priorize sua saúde e qualidade de vida e trate-as com mais importância e menos urgência.
 
Abraço, 
Eduardo Pires